NÃO HOUVE INTERVENÇÃO MILITAR NO RIO DE JANEIRO.

 

  Gloria Godoy(*)

                                               O Brasil foi surpreendido com o Decreto Presidencial de Intervenção Federal no Rio de Janeiro, no dia 16 de Fevereiro. Mas o que significa isso exatamente? Intervenção Federal é a mesma coisa que Intervenção Militar?

                        A Constituição Federal trouxe as regras de criação e administração do Estado Brasileiro. Organizou o Estado em Federação, ou seja, criou os estados e municípios, entes da federação, com autonomia. Assim, o povo dos estados e dos municípios tem liberdade para escolher seus dirigentes e estes podem organizar suas estruturas de governo.

                        A intervenção federal está prevista na Constituição para casos muito restritos e excepcionais. É a primeira, e mais branda, das medidas que têm como objetivo preservar o Brasil como Estado.

                        Por outro lado, uma intervenção militar não está prevista no Texto Constitucional, caso ocorresse, seria uma grave violação da ordem, um golpe. Neste caso, por iniciativa do comando militar as forças armadas tomariam o poder e o controle dos governos.

                        Com a organização do Estado Brasileiro a Constituição apresenta três medidas de proteção deste estado, gradativamente mais graves; a intervenção, o estado de defesa e o estado de sítio. A cada medida as restrições se ampliam e aprofundam.

                        As três medidas são atos privativos do Presidente da República, mas devem ser aprovadas pelo Congresso Nacional.

                        Na intervenção apenas a autonomia do estado é afastada. O Governador escolhido pelo povo pode ser totalmente retirado do cargo ou apenas de algumas funções, como no caso do Decreto do Rio de Janeiro.

                        Os direitos individuais, assegurados pela Constituição, não podem ser retirados, afastados ou reduzidos, por Decreto de intervenção. Apenas a autonomia estadual é reduzida.

                        Durante a vigência da Intervenção Federal atuarão simultaneamente, com os mesmos poderes, mas em áreas de atuação diferentes, o Governador (administrador eleito) e o Interventor (administrador indicado).

                        A Constituição prevê, ainda, o estado de Defesa, quando o Presidente poderá restringir direitos individuais previstos constitucionalmente visando preservar a integridade nacional, como o sigilo de comunicações.

                        Finalmente, como medida mais grave de todas, mas ainda prevista na Constituição, há o Estado de Sítio. Neste caso, um número maior de direitos individuais previstos, como liberdade de locomoção, de imprensa e de reunião podem ser restringidos.

                        A previsão Constitucional dos três estados de exceção à normalidade tem o objetivo a preservação da existência do próprio Estado. Como um remédio amargo, ou mesmo uma quimioterapia que pode se fazer necessária, por pior que possa parecer.

                        Neste momento, é a medida adequada?

                        Isso somente o tempo dirá…

(*)GLÓRIA MARIA DE GODOY MOREIRA

Especialista em Direito Público: Constitucional, Administrativo e Tributário e Professora de Direito Constitucional da Universidade Estácio de Sá – RJ (Graduação). Advogada. Arquiteta e Urbanista.

Contato: Email: gloria.godoy@adv.oabrj.org.br

Tel: (21) 999666945

Anúncios

A Primavera está chegando…

Oi gente queridaaaa

A Primavera está chegando: só faltam três dias!  Às 17:02 do dia 22,  ela chega com suas flores, perfumes e cores e eu já estou muito feliz. Como essa estação mexe comigo! Eu fico em êxtase existencial. Fico mais disposta, animada, esperançosa. Realmente eu amo a Primavera. E você?

Sabe,  há uma frase que gosto muito, e a compartilho com todos:

“Há sempre muitas flores espalhadas no nosso caminho, cabe a nós descobri-las. 
E quanto mais descobrimos beleza, mais beleza atraímos para a nossa vida
 e para a vida de quem nos cerca”.
Experimente! você vai se surpreender ao constatar por quantas flores você passa diariamente e nem percebe. E a nossa mente agradece, pois ao focar a beleza – uma simples flor que você para e admira conscientemente – automaticamente você está enviando para seu cérebro estímulos positivos.  E, com a prática, vc vai começar a ver o lado bom de pessoas, situações, enfim de tudo!
A primavera está chegando trazendo o belo, o bom e o que nos faz bem, e nos convidando a desfrutar da energia que impregna o ar. Aproveitem.. Curtam… e vivam a Primavera!!!
Mesmo que destruam dezenas, centenas, milhares de flores, 
não conseguirão deter a primavera e o florescer interior. 
Beijos ansiosos pela chegada da Primavera.

Ave do Paraíso em forma de flor

 Oi Gente…
Hoje quero falar sobre uma flor que eu acho maravilhosa: a Strelitza  (Strelitzia reginae), também conhecida como Ave do Paraíso, Flor da Rainha, entre outros. É uma flor muito resistente e, mesmo cortada, dura dias ou até uma semana. Eu a utilizei muito em decorações para formaturas, congressos e eventos. É uma flor realmente linda.
Originária da África, e seu nome é uma homenagem a Charlotte Sophia, da família Meckleouborg Strelitz, esposa do rei George III, da Inglaterra que era patrono da Botânica. Hoje é a flor símbolo de Los Angeles.
                                                        CARACTERÍSTICA INTERESSANTE
.Parente da helicônia e da bananeira, essa flor que mistura as cores verde-escuro, que contrasta com as folhas em tom avermelhado, e as flores – esculpidas por Deus com esmero – ficam guardadas numa bráctea em forma de barca, e apresentam coloração que variam do vermelho, laranja e azul violeta. Os beija-flores adoram… 



Parece um passáro


Aqui você vê uma flor



Aqui vocês podem ver duas flores




Aqui você pode reparar uma flor morrendo e a outra nascendo


As flores ficam guardadas dentro desta folha avermelhada e vão surgindo sucessivamente.


.O que acham? Concordam que ela é linda?

Beijos de Estrelitza.

As sementes sentem e pressentem

Oi gente..

Hoje sou eu, Sandra, quem vai falar com vocês e compartilhar meus sentimentos em relação a morte da semente de girassol. Como vocês podem ver pela foto, daquele lindo e promissor brotinho, só restou um galhinho magro, seco e contorcido. Olhar para o que ele se transformou e pensar no que ele poderia ter sido, doí um pouco, mas favorece a uma reflexão sobre a vida, a morte e o meio: o ato de viver.

Tenho que confessar que ao vê-lo definhar, meu coração se entristeceu. Minha expectativa era a de acompanhar seu crescimento e me envolver empaticamente  no processo e me desenvolver com ele. Mas ele, o girassol do futura, ela, a semente do passado, morreu no presente muito antes do que eu poderia imaginar. Faz parte…

Curioso é que na sexta (dia 30) eu finalizei, junto com o mês, uma situação interna que estava me incomodando muito. Dei fim.. E final é o ponto onde o desenvolvimento para. Não tem mais frente, nem presente e muito menos mais futuro. E qual não foi a minha surpresa, quando, ao chegar em casa, vi que o brotinho que havia deixado saudável (aos meus olhos) estava morrendo. Me fundi com ele. Vivemos e morremos em simbiose.

Sabem, já está comprovado que as plantas sentem a energia de quem as cuida. E, quem as cuida, também têm profunda ligação energética e espiritual com a sua plantinha. E eu acho que de alguma forma metafísica ela – a minha futura flor – sentiu o meu sentimento e captou a minha angústia. O fato é que ao sair de casa para fazer algo extremamente difícil para mim, cujo resultado era uma incógnita, mas o processo seria, sem dúvida alguma, muito doloroso, a minha sementinha em desenvolvimento percebeu e pressentiu o desfecho. Fato é que quando cheguei em casa encontrei-a agonizando como eu….

Mas a vida continua… E, agora, aguardo que a vida recomece na outra semente. Ou em outra… Ou em alguma…

Como escreveu Henfil:

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Vovó é a vovozinha!

Hoje me chamaram de vovó e  minha cabeça viajou na maionese… Qual seria a sua reação se lhe chamassem de avó? O que você sentiria? Não sei você, mas a primeira informação que eu gostaria de ter era sobre quem assim  chamou. E a resposta faz muita diferença.
Os que me conhecem, ou  me acompanham, sabem que tenho uma netinha de 10 meses que ainda não fala. Fico pensando sobre o dia em que sair dos lábios dela a palavra vovó! Nossa… eu mesma nem consigo imaginar quão grande será minha emoção. Mas sei que ficarei muito feliz.
O mesmo posso dizer em relação às crianças para quais eu dou aula. A maior parte me chama de tia, mas algumas, mais carinhosas, me chamam de vovó, e eu amo. Adoro quando os pequenos bracinhos envolvem meu pescoço num abraço de amor e carinho e falam “oi vovó”. Como na propaganda antiga: não tem preço.
Netos verdadeiros, emprestados, provisórios, circunstanciais são sempre (ou quase sempre) bênçãos em nossas vidas. Crianças são fontes inesgotáveis de amor, sinceridade e sabedoria. O mesmo poderíamos sentir em relação aos adolescentes ou jovens.
VOVÓ É A VOVOZINHA
 
Mas… se fosse uma mulher que tivesse praticamente a sua idade? E se fosse um homem não tão mais novo que você? Daí complicaria né?  Por quê?
Primeiro, porque não conseguiríamos entender a palavra no seu sentido poético. DU – VI – DO!        O que passaria na cabeça de qualquer mulher (se eu estiver errada, proteste nos comentários) seria: “Me chamou de velha”. Nada contra envelhecer… (tenho 60 anos, assumi meus cabelos brancos e não escondo a idade) mas… ser chamada de vovó por uma pessoa de pouco mais de 50, é vilipêndio…
Em Programação Neurolinguística aprendemos que palavras podem  eliciar sentimentos e emoções, E que podem ser “ancoradas” eternizando aquela sensação. A palavra em questão “vovó” pode provocar fortes lembranças gustativas (aquele doce que a vovó fazia), cinestésicas (o abraço e o colo dela) ou auditivas, as canções que ela cantava.  Até aqui, ótimo! São gatilhos positivos.
Mas imagine… se você tem, ou teve um relacionamento com alguém mais novo, ou se uma “amiga” vivessem te chamando de “vovó” no sentido pejorativo e depreciativo? Quais os sentimentos que aflorariam? Não seriam agradáveis…
AS ÂNCORAS DA NOSSA VIDA
Para que você possa entender melhor, em PNL existe uma técnica chamada Ancoragem, através da qual podemos criar estados de recursos positivos. Por exemplo: Você um dia recebeu um abraço e se sentiu amada, acolhida, cuidada e que provocou no seu corpo um estado de êxtase existencial. Utilizando a técnica, podemos “ancorar” (através de um gesto) esse sentimento. Então, quando estivermos tristes (ou sem estado de recurso), podemos fazer o gesto de forma tal que o nosso cérebro libera todas as emoções daquele momento ancorado (no caso aqui, o abraço). Entendeu? Eu mesma tenho algumas âncoras que as utilizo no meu dia a dia em várias situações.

Existem âncoras que nos são passadas inconscientemente. Um exemplo: plim plim…  A “ancoragem” pode explicar até porque acontece de não irmos com “o santo” de alguém que acabamos de conhecer. Na verdade, a pessoa não conta, o problema está nas lembranças que ela nos desperta.

Em minhas palestras eu afirmo que as flores são âncoras do belo, do bom e do bem que Deus espalhou no nosso caminho. Pena que nem todos as  veem. Eu afirmo (e a neurociência comprova) que “Quanto mais apreciamos a beleza, mas beleza descobrimos. E quanto mais beleza descobrimos, mais beleza atraímos para nossa vida”. Mas isso é outra história – ou melhor, outro post!

Mas… voltando à Vovó”… quão intensas e imensas emoções e sentimentos essa pequena palavra pode provocar tanto no sentido positivo, quanto no negativo. Em algumas ocasiões podemos ficar com um sentimento chiclete que não sai da cabeça ou do coração.

É preciso entender que o problema não está na palavra em si e nem em quem a falou.  A questão gira em torno da representação interna que  criamos a partir daquele gatilho, daquele estímulo. A palavra Vovó pode fazer emergir sentimentos de muita felicidade –  ou não. Vovó pode ser associada a mulher que não mais tem qualquer atrativo físico, porque assim como o chiclete não tem mais açúcar no final, a vovó não é mais mulher: é apenas vovó! Já reparou que muitas mulheres depois que têm netos passam a ser chamadas de vovó?  Minha mãe é uma.

 
DESANCORAR É POSSÍVEL.
 
Em PNL, assim como podemos fazer brotar sentimentos, emoções e, portanto, recursos, também podemos arrancá-los, podá-los. E isso trás um alivio emocional enorme… Como? Vou explicar (muito resumidamente).
Claro que aqui não pretendo  ensinar as técnicas, mas dar algumas dicas que podem ajudar em várias situações como: parar de reviver internamente uma situação,  apagar uma cena da cabeça, parar de pensar em alguém que não convém pensar e até (kkkkkk) esquecer que te chamaram de vovó (calando àquela voz que fica martelando insistentemente na cabeça: velha! velha, enrugada!).
DICAS PARA DESGRUDAR AS LEMBRANÇAS CHICLETES
 
 
 

Nestas dicas vou misturar algumas técnicas da PNL, tá?

  • Visualizar a cena e ir mentalmente desbotando-a até que ela suma.
  • Você pode ver, ouvir e/ou pensar em alguma situação, ou pessoa e ir criando várias formas para fazer sumir da sua cabeça. Exemplos: imagine uma pessoa que você não quer gostar ou quer esquecer: Delete. Apague com uma borracha. Com uma mangueira de água bem potente, limpe totalmente a pessoa ou a lembrança.
  • Imagine o filme da relação de trás para frente,
  • Faça o que você quer esquecer explodir em mil pedaços! (esta eu amo. Transformo em mil estilhaços uma pessoa, por exemplo).
  • Mude tudo na cena: se é dia, imagine que é noite, se o céu está bonito, transforme em uma tempestade, e vá mudando todos os detalhes.
  • Imagine a cena, a pessoa, ou qualquer situação passando na televisão. Sinta, ouça e veja os detalhes. Depois, mentalmente mas conscientemente, levante e desligue a televisão. Se for alguma coisa que você ouviu, imagine escutando como uma notícia de rádio. Desligue também.
  • Ou se for o caso, delete a mensagem, do computador, do celular e até do whatsApp, que já criou esse recurso (veja aqui)
Se você não acredita que essas dicas funcionam, experimente. Garanto que você vai conseguir esquecer o que não quer lembrar. E, do que me chamaram mesmo? Esqueci!

Para terminar e te fazer refletir:

“Ficar ruminando a situação ruim faz mal tanto para o corpo quanto para a mente.
A química que fabricamos, ingerimos e liberamos no organismo quando não esquecemos uma situação por horas, dias, meses, anos é bem pior do que aquilo que as trouxeram à tona”
Donna Jackson Nakazana, especialista em Políticas Públicas, Dike university.

Boas práticas…

Deixa Deus conduzir

Olá amigos…
Pouca coisa mudou em mim de ontem para hoje. Não me desenvolvi muito e as minhas duas folhinhas aumentaram só um tiquinho. Aparentemente, não cresci. Entretanto, minhas raízes se aprofundaram na terra, firmando todo o meu corpo e me abasteceram dos nutrientes que preciso para crescer.
Na quietude do meu crescimento, fico pensando sobre o ato de crescer. É  tudo tão relativo… Quantas vezes temos a impressão de que nada está acontecendo, que tudo parou, estacionou… Mas as verdadeiras mudanças são assim: lentas e imperceptíveis. São mais do que mudanças: são transformações que acontecem internamente e  vão gradativa e continuamente alterando o nosso ser como um todo. Hoje não é mais como ontem e nem será o hoje, como o amanhã. E eu nem preciso me preocupar. Sabem, é muito bom não precisar fazer nada, apenas se permitir ser conduzida – por Deus – rumo ao meu destino final de ser flor.
Amanhã, novamente, as horas irão me modificar, a medida que forem passando. Minhas raízes crescerão, mesmo que ninguém perceba, mesmo que eu mesma não tenha poder para mover esses fios.
Vocês humanos são diferentes, né? Dificilmente relaxam e deixam Deus agir e conduzir as mudanças das suas vidas. Querem sempre co/mandar… O que é uma pena, porque Ele sabe muito mais do que vocês o que é melhor para o seu futuro.
Eu prefiro me entregar e me deixar ser conduzida por Deus. Por que vocês não fazem o mesmo?
Bom pense sobre o que conversamos.  Até amanhã. Vocês voltam? Espero vocês!

Pequenas Transformações

Olá amigos…

De ontem para hoje pouca coisa mudou em mim. Mas já estou diferente. Meu caule cresceu um pouquinho e se você olhar bem, vai perceber que até engordou.

Minha raiz também continua crescendo em baixo da terra. Eu estou me desenvolvendo para cima e para baixo, porque preciso de segurança. De que me adiantaria ir aumentando de tamanho sem estar bem firmado na terra? Qualquer ventinho me levaria. Crescer não é fácil, mas com as raízes bem fixas e saudáveis, fico confiante no futuro, quando serei uma flor.

Meu verde está ficando mais forte e as minhas folhinhas que ontem estavam bem coladinhas, hoje estão separadas. Agora, você consegue ver nitidamente as minhas duas primeiras folhas. Note que elas parecem dois bracinhos levantados e abertos agradecendo a vida a Deus.

Estou feliz. A vida cresce em mim e eu estou crescendo na vida. E o viver é ainda para mim um grande mistério. Não sei como será, mas espero que eu possa me expandir até desabrochar em flor.

Quando eu era apenas uma semente, eu estava na posição máxima de contração. Tudo o que eu poderei ser já estava ali, porém ainda latente.

O que me reserva o amanhã? Quais as mudanças que acontecerão em mim? Não sei…. mas eu confio que estarei seguindo em direção ao meu estado de expansão máxima: a flor!

Venha amanhã. Te espero.

Diário de uma semente de Girassol


Olá muito prazer. Sou uma semente de girassol que há dois dias foi colocada na terra. A princípio estranhei muito. Estava escuro e me vi totalmente coberta pela terra. Foi uma sensação estranha,  pois eu não sabia muito bem o que eu estava fazendo ali e nem o que iria acontecer. Mas hoje aconteceu: de repente eu comecei a estufar e me abri. E de dentro de mim surgiu um galhinho verde muito pequeno, com uma folhinha menor ainda na ponta. E a luz começou a aparecer. Sem me dar conta, eu consegui sair de baixo da terra e ver o mundo que estava além.

Nesses dias que estive soterrada, coberta de terra e na escuridão, pude entrar em contato comigo mesma e, assim bem quieta, aparentemente parada, que me expandi e perfurei a terra. Ainda estou sob ela – a terra – mas já comecei a me abrir para o mundo aqui em cima. Sim, me abrir literalmente. Porque a pequena folhinha da ponta do meu caule, se transformou em duas.

O que vem agora?  Não sei… mas amanhã será outro dia que trará novidades para a minha vida.

Olhem como eu estou.

A lição da Camélia

camelia rosa

Ô jardineira por que estás tão triste? Mas o que foi que te aconteceu?

Foi a Camélia que caiu do galho… deu dois suspiros e depois morreu!

Até os mais jovens conhecem essa marchinha de carnaval composta por Humberto Porto e Benedito Lacerda, e gravada por Orlando Silva, em 1939. O tempo passou, mas ela, a Jardineira, continua na lembrança de todos. Agora, poucos sabem que a lindíssima flor realmente cai do galho. Vou explicar.

A Camélia Japônica quando ela está plantada, ou seja, quando há seiva correndo, ela morre seca presa ao galho. Entretanto, gando o galho é cortado e a vida já não corre dentro dela, ela se desprende e realmente  se deixa cair.  Bonita lição!

Deveríamos seguir o exemplo da Camélia: brigar pelo o que realmente vale à pena em nossa vida. Perseverar quando estamos perdendo o que nos nutre, nos faz bem e nos ajuda a viver.  Mas quando algo – ou alguém – já não acrescenta nada de positivo, devemos abrir mão, deixar ir, desapegar.

E o grande desafio que enfrentamos é conseguir discernir  uma situação da outra.

Oremos sempre: Senhor dai-me forças para lutar pelo que posso mudar.Resignação para aceitar o que não pode ser mudado e muita sabedoria para diferenciar um momento do outro.

Fácil não é… mas é possível.

Bjs de camélia

Ação Social no Parque de Madureira

capaface
ARQUE DE MADUREIRA VAI PARAR
NA MAIOR FESTA DA FAMÍLIA

No feriado do Dia do Trabalhador, 1/5, o Parque de Madureira vai parar  e receber milhares de pessoas que vão para lá ajudar e  serem  ajudadas, na mega ação social JUNTOS POR VOCÊ, organizada por um pool de pequenas  instituições culturais, sociais, assistenciais e religiosas, que se uniram para realizar o maior evento que o Parque de Madureira já recebeu.

Estarão à disposição de todos cerca de 30 tendas para atendimentos nas áreas da saúde, empregabilidade, educação, beleza, dependência química, aconselhamento para famílias em conflitos, entre outros.

Para as crianças, haverá muitas atividades: teatro, contadores de histórias, oficinas e muita brincadeira.

Nos três palcos do Parque serão apresentadas ao longo do dia várias atrações musicais; Orquestra Unijazz, Banda Corpo de Bombeiros, bateria de Escola de Samba e, no palco um, receberá importantes interpretes da música gospel: Cristina Mel, Waguinho, Matos Nascimento (ex-integrante dos Paralamas do Sucesso), entre muitos outros. O cantor Netinho, virá de São Paulo para o evento e relembrará grandes sucessos do Negritude Júnior.

O evento conta com o apoio da prefeitura, mas está sendo realizado sem qualquer verba oficial. Todos os envolvidos estão trabalhando voluntariamente com um único objetivo: cuidar de pessoas e, assim, ajudar a nossa cidade a voltar a ser maravilhosa para todos.

Site: www.juntosporvoce.org
Fanpage: Juntos por Você

Contato:  Sandra Braconnot – Assessora de Comunicação.

Cel: 21 99608 8810
E-mail: ascom@juntosporvoce.org

Chegou Abril. Abra-se e abrace Abril.

Olá…

Quatro meses já se passaram em 2017. E para mim, Abril é um mês muito especial, cheio de cores, flores, cheiros e amores – e também é o meu aniversário.

Sobre esse mês tão lindo, deixo Vinicius e Toquinho cantarem sobre ele. Prestem atenção na letra.

 

 

Abra-se para Abril e ele se abrirá para você.

Feliz Abril.